Notícias

Esta menina tentou matar-se. 1 ano depois, a família descobriu que o motivo se escondia DENTRO de casa.

Esta menina tentou matar-se. 1 ano depois, a família descobriu que o motivo se escondia DENTRO de casa.

Micaela é uma adolescente argentina de 17 anos. Quando tinha 16, ela tentou o suicídio. Toda a  família ficou preocupada e perguntou-se o que poderia ter levado a menina a fazer isso. Mas ela permaneceu calada e foi rotulada de “problemática”. A verdade só foi revelada um ano depois, quando os professores na escola finalmente notaram que algo estava errado na casa da rapariga.

Neste momento, eles descobriram que Micaela era abusada desde pequena pelo próprio pai. “O abuso começou quando eu tinha 4 anos mais ou menos, com algo tão inocente como um ursinho de pelúcia. O meu pai tinha um gorila de pelúcia e eu uma ursinha. Ele dizia que eles eram namorados e que ele iria me ensinar como tinha que brincar. O nome do gorila era Chicho e minha ursinha se chamava Coração. Eu era pequena, mas lembro-me,” diz Micaela.

Durante mais de 12 anos, ela sofreu sozinha, amedrontada e demasiado envergonhada para contar a alguém. A menina deu sinais ao longo da vida, mas parece que nunca nenhum adulto percebeu ou tentou ajudar. Um destes sinais parecia bem claro, mas ainda sim não levantou as suspeitas certas: o hábito de cortar a pele. Ao longo da sua adolescência, Micaela feria-se com uma gilete, causando sangramentos e cicatrizes. “Eu gritava odeio-te’ enquanto me cortava. Sim papá, destruis-te me a vida e, como eu não podia magoar-te, magoava-me a mim mesma,” diz a menina.

Mas nem tudo estava perdido. Quando a história foi finalmente exposta, Micaela sentiu-se forte pela primeira vez na vida. Ela abraçou a liberdade de poder falar sobre o assunto e resolveu que nunca mais ficaria calada. Ela criou uma página no Facebook onde partilha a história e o progresso dela a superar este trauma. A página, chamada Por Uma Infância Sem Dor, já tem mais de 80 mil seguidores. O sofrimento dela é notícia no mundo inteiro e está a servir para discutir este tema que ainda é tabu: abuso infantil e incesto.

“Eu tenho sonhos… Quero pensar num futuro alegre, numa família unida… Imaginar como teria sido o meu primeiro beijo, o primeiro homem na minha vida, pensar como teria sido entregar-me por amor estando segura do que estava a fazer,” escreveu a jovem no seu Facebook. “Não é o abuso o que mais dói papá… é a traição. Eu choro todos os dias a tua perda, como se tu estivesses morto. Tu aproveitaste-te do mais valioso que eu tinha, a inocência. Brincaste com os meus sentimentos de criança.”

Micaela foi vitima da pior violência que alguém pode imaginar: ser agredida pela pessoa que deveria amar-te e proteger-te. Ao saber do que acontecia dentro de casa, a mãe separou-se do pai e um processo foi iniciado no tribunal local. Porém, o agressor ainda segue em liberdade.

De qualquer maneira, esperamos que a Micaela consiga superar este trauma horrível. O sofrimento dela com certeza poderia ter sido menor se alguém tivesse percebido os sinais antes. “Às vezes, eu penso em como minha vida teria sido se alguém tivesse acreditado em mim quando eu tinha 4 anos. Mas como é que alguém vai acreditar numa pirralha de 4 anos, não é?” diz a menina.

Todas as crianças abusadas dão algum tipo de sinal. Se notares algum comportamento diferente, investiga, pesquisa e, se necessário, denuncia! Partilhe esta importante mensagem com todos os que conheces. Não deixe uma pequena vítima perder a sua inocência e a sua infância…